5 mitos sobre a psoríase desvendados!

0
517

Psoríase é mesmo contagiosa? Confira esse e outros mitos sobre a doença de pele

Atualmente há muita informação disponível sobre a psoríase por aí, especialmente na internet, mas vale a pena ficar bem de olho, pois nem tudo o que está disponível é verdade! Então, para te ajudar a entender de uma vez por todas o que é (e o que não é) psoríase, desvendamos aqui alguns mitos! Confira!

Mito 1: “A psoríase é contagiosa.”

Mentira! A psoríase é uma doença autoimune.1 Já sabemos que a psoríase é causada por uma combinação de fatores genéticos e ambientais,1-2 e que nenhum deles pode ser transmitido através do contato entre pessoas (nem mesmo se tocarmos as lesões da pele). Infelizmente, esse mito gera muito preconceito, constrangimento, impactando na qualidade de vida e no bem-estar dos pacientes3 – que já têm que lidar com as lesões da pele. Não caia nesta cilada, ajude a educar outras pessoas: a PSORÍASE NÃO É CONTAGIOSA!

Mito 2: “A psoríase pode ser causada pela má higiene.”

Isso não poderia estar mais errado! A psoríase não tem nada a ver com higiene e tudo a ver com questões genéticas (já que a doença é causada por uma combinação de genes que tornam algumas pessoas mais suscetíveis ao desenvolvimento da doença), somadas a gatilhos ambientais como infecções, estresse ou exposição a um agente específico.1-2 Isso faz com que o sistema imunológico envie sinais que aceleram o crescimento desordenado das células da pele. Ao invés de descamarem e se soltarem como células normais, estas se acumulam para formar essas placas na pele, características da psoríase.2

Mito 3: “Psoríase é fácil de diagnosticar.”

Nem sempre. Primeiro porque a psoríase não é a única razão para a descamação da pele (que também pode ser um sinal ou sintoma de eczema ou dermatite seborreica, por exemplo).4 A psoríase é caracterizada por prurido, placas escamosas prateadas, que ficam acima da pele vermelha inflamada, e que podem rachar e até sangrar.5 Vale considerar também que a psoríase difere de pessoa para pessoa, razão pela qual é tão importante procurar um dermatologista. Às vezes, somente a análise de uma amostra de pele pode confirmar o diagnóstico da psoríase.4

Mito 4: “Psoríase é doença simples da pele.”

Não é verdade. A psoríase é uma doença autoimune crônica que pode causar inflamação em todo o corpo.6 Além disso, já se sabe que a psoríase está relacionada a um maior risco de obesidade7, diabetes8, pressão alta9, colesterol alto10, ataque cardíaco e acidente vascular cerebral, por exemplo.11 Os sintomas da psoríase também não se limitam à pele. Cerca de 30% das pessoas com psoríase também têm suas articulações afetadas – uma condição dolorosa e incapacitante conhecida como artrite psoriásica.12

Além disso, a psoríase costuma afetar a qualidade de vida dos pacientes, com impactos funcionais e psicossociais, que vão muito além do que um simples problema de pele.3Pacientes que têm sinais e sintomas moderados da doença relatam que a psoríase impacta em suas atividades diárias e bem-estar.3

Portanto, se alguém tentar classificar sua psoríase como “uma doença simples que só atinge a pele”, não se esqueça de educá-lo com fatos sobre o que a psoríase realmente é!

Mito 5: “As lesões da psoríase são passageiras e somem sozinhas.”

Infelizmente não. Alguns sinais e sintomas da psoríase podem até desaparecer, mas como a doença é crônica, os sintomas podem retornar ao longo da vida.13 Vale reforçar que cerca de um terço das pessoas com psoríase em placas são diagnosticados com as formas moderada a grave, mais severas e complexas de tratar, e que trazem um impacto ainda maior na qualidade de vida dos pacientes.14 No entanto, a psoríase não precisa ser uma sentença de prisão perpétua. Hoje, o objetivo do tratamento é alcançar pele sem lesão ou quase sem lesão.15Para isso, quem tem psoríase precisa procurar um dermatologista especialista, capaz de aconselhá-lo sobre a melhor maneira de gerenciar a psoríase!


Fonte: Site Skin to Live In. Disponível em http://www.skintolivein.com/psoriasis/article/five-myths-about-psoriasis-debunked/. Último acesso em dezembro de 2016.

Sou Blogueira, motivada pelo diagnóstico da Artrite Reumatoide aos 26 anos, como profissional da enfermagem eu estava acostumada a lidar com a dor, porém, a dor dos outros e de repente a dor passou a ser minha companheira. Troquei o cuidar assistencial pelo cuidar informacional e escrevi o Blog Artrite Reumatoide, para compartilhar a minha dor, aprendi então, que Dor Compartilhada é Dor Diminuída.
Hoje sou “Patient Advocacy”, social media, graduanda do curso de jornalismo na FiamFaam, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde e uma eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta