Ambulatório de Síndromes Autoinflamatórias da Unifesp, Hospital São Paulo

0
316

unifespEste ano de 2015, a Universidade de São Paulo (Unifesp) iniciou, no setor de reumatologia pediátrica, as atividades de um ambulatório de investigação diagnóstica das síndromes auto-inflamatórias na infância e na adolescência.

As doenças auto-inflamatórias são condições clínicas nas quais existe inflamação de muitos sistemas e órgãos, na ausência de infecção, neoplasia ou auto-imunidade. Estão relacionadas a defeitos genéticos que causam uma função excessiva de certos componentes do sistema imune, em particular as células do sistema imune inato, produtoras de mediadores inflamatórios tais como as interleucinas. A idade de início dos sintomas é variável, às vezes iniciando já nos primeiros meses de vida.

As consultas são supervisionadas por especialistas em Reumatologia Pediátrica. Os casos complexos são discutidos pela equipe, sendo proposto para os pais o melhor tratamento possível. As consultas são gratuitas, uma vez que o ambulatório está inserido no complexo do Hospital São Paulo/SUS.

As consultas de triagem deverão ser marcadas no Ambulatório de Pediatria do Hospital São Paulo, na Rua José de Magalhães 340. Pacientes com encaminhamento médico poderão marcar as consultas diretamente no ambulatório de Reumatologia Pediátrica na Rua Borges Lagoa 802.

Para ambos os ambulatórios a marcação deve ser feita pelo telefone – (11) 5574-7627.

No laboratório do setor de Reumatologia, são realizadas as seguintes pesquisas genéticas das seguintes doenças: febre familiar do Mediterrâneo (MEFV); Traps (TNFRSF); Hiper IgD (MVK); Criopirinopatias (Nalp3/Cias/ NLRP12); e artrite granulomatosa pediátrica (NOD2/CARD 15).

Sou Blogueira, motivada pelo diagnóstico da Artrite Reumatoide aos 26 anos, como profissional da enfermagem eu estava acostumada a lidar com a dor, porém, a dor dos outros e de repente a dor passou a ser minha companheira. Troquei o cuidar assistencial pelo cuidar informacional e escrevi o Blog Artrite Reumatoide, para compartilhar a minha dor, aprendi então, que Dor Compartilhada é Dor Diminuída. Hoje sou “Patient Advocacy”, social media, graduanda do curso de jornalismo na FiamFaam, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde e uma eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta