Aqui tem Farmácia Popular

0
345
     O Ministério da Saúde, através da Portaria 3.219 de 20/10/2010, dispõe sobre a ampliação do Programa Farmácia Popular do Brasil.
     Alguns medicamentos que até esses dias a única forma de aquisição era através da Assistência Farmacêutica, agora passam a fazer parte da lista de medicamentos vendidos a preço acessivel através das unidades da Farmácia Popular.
     Sendo eles:
  • Osteoporose
    • Aledronato de Sódio 70 mg
  • Hipertensão 
    • Losartana Potássica 50 mg
  • Glaucoma
    • Maleato de Timolol 0,25 e 0,50 mg
  • Rinite
    • Budesonida 50 mcg e 32 mcg
  • Parkinson
    • Carbidopa 25 mg
    • Cloridrato de Benzerazida 25mg + Levodopa 100 mg
  • Asma
    • Sulfato de Salbutamol 5 mg
    • Sulfato de Salbutamol 100 mcg/dose
    • Brometo de Ipratropio 0,25 mg/ml
    • Brometo de Ipratropio 0,02 mg/ml
    • Diproprionato de Beclometasona 50 mcg/dose
    • Diproprionato de Beclometasona  200 mg/cápsula
    • Diproprionato de Beclometasona  200 mcg/dose
    • Diproprionato de Beclometasona  250 mcg/dose
  • Produtos de Higiene Pessoal
    • Fralda Descartavel Geriatrica (para pacientes com idade igual ou superior a 60 anos)
      • Necessário laudo/ receita médica que será válido por 120 dias.
      • Limitado a 04 fraldas dias = 120 fraldas/mês.
        • Custo R$ 0,71 unidade
     De uma forma geral, como já acontece com os medicamentos que ja constavam da lista da Farmácia Popular é necessário a apresentação:
  • Prescrição médica e/ou receita e/ou laudo médico, constando nome e CRM legível do médico, assim como endereço do consultório (hospital, ambulatório, enfim, local de atendimento médico)
  • Data de expedição da prescrição médica e/ou receita e/ou laudo médico
  • Nome e endereço residencial do paciente
  • CPF + RG
     É isso o que compreendi, conforme a portaria publicada e pode ser conferida através do link:
     Isso é uma grande conquista, para nos reumáticos o Alendronato é usado por muitos pacientes que adquiriram osteoporose por conta do uso de corticóide por período prolongado.
    Mas ainda temos esperanças que outros medicamentos sejam acrescentados a lista da Farmácia Popular, como por exemplo:
  •  Metrothexate, que na farmácia convencional custa R$ 18,00 reais a caixa com 25 comprimidos, porém, temos dificuldade para comprar, sempre esta em falta.
  • Deflazacort, corticóide que tem menos efeitos colaterais que a prednisona, porém o custo é elevado para uso contínuo e muitos pacientes reumáticos não tem condições financeiras de comprar na farmácia convenional.
  • Cálcio: o custo ainda é elevado e muitos pacientes deixam de usar por não terem condições de comprar.
     E nos ítens de Higiene Pessoal poderia ser acrescentado o “Protetor Solar” que custa caro e temos que usar todos os dias (a maioria de nós reumáticos e todos os lúpicos), existem  projetos tramitando + até agora nada.
     Uma grande conquista e desejamos novas e novas conquistas.

Sou Blogueira, motivada pelo diagnóstico da Artrite Reumatoide aos 26 anos, como profissional da enfermagem eu estava acostumada a lidar com a dor, porém, a dor dos outros e de repente a dor passou a ser minha companheira. Troquei o cuidar assistencial pelo cuidar informacional e escrevi o Blog Artrite Reumatoide, para compartilhar a minha dor, aprendi então, que Dor Compartilhada é Dor Diminuída. Hoje sou “Patient Advocacy”, social media, graduanda do curso de jornalismo na FiamFaam, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde e uma eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.

COMPARTILHE
Artigo anteriorReabilitação Profissional INSS
Próximo artigoEncontro do Blog "EncontrAR"
Sou Blogueira, motivada pelo diagnóstico da Artrite Reumatoide aos 26 anos, como profissional da enfermagem eu estava acostumada a lidar com a dor, porém, a dor dos outros e de repente a dor passou a ser minha companheira. Troquei o cuidar assistencial pelo cuidar informacional e escrevi o Blog Artrite Reumatoide, para compartilhar a minha dor, aprendi então, que Dor Compartilhada é Dor Diminuída. Hoje sou “Patient Advocacy”, social media, graduanda do curso de jornalismo na FiamFaam, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde e uma eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta