Confira a lista de medicamentos para Artrite Reumatoide coberto pelo SUS

0
1815

Lista_novaCom a publicação do novo “PCDT”, o tratamento da Artrite Reumatoide no Brasil, passa a contar com um amplo arsenal medicamentoso, o que permitirá ao médico reumatologista, a escolha pelo melhor e mais eficaz tratamento da pessoa com Artrite Reumatoide.

Atenção Pacientes: devemos levar em consideração que não são todas as pessoas com Artrite Reumatoide, Artrite Idiopática ou outras formas de artrite que necessitam usar os medicamentos biológicos e a escolha e opção pela mudança de tratamento medicamentoso é uma decisão exclusivamente médica que deve ser compartilhada e discutida com o paciente. Por isso, entendam que para iniciar o tratamento com medicamento biológico é preciso seguir as orientações e critérios deste protocolo de tratamento do Ministério da Saúde, protocolo este que é de conhecimento dos médicos reumatologistas. O Médico Reumatologista é a melhor pessoa para indicar a mudança de tratamento.

O acesso aos medicamentos de alto custo, continua sendo os mesmos;

  • Preencher critérios de indicações clínicas (do PCDT-AR)
  • LME (laudo de medicamentos especializado) preenchida e com número do CNS (Cartão Nacional do SUS) e também CPF Ou CNeS do Médico prescritor.
  • Receita em duas vias com validade para 3 meses.
  • Exames conforme critérios da PCDT-AR
  • Renovação do processo da LME, exames a cada 3 meses para garantir a segurança do uso dos medicamentos de alto custo.

Lista de medicamentos:

Anti-inflamatórios não esteroides (AINE)

– Ibuprofeno: comprimidos revestidos de 200, 300 e 600 mg; solução oral de 50 mg/ml.
– Naproxeno: comprimidos de 250 mg ou de 500 mg.

Glicocorticoides
– Metilprednisolona (acetato) (intra-articular): frasco de 40 mg/2 ml.
– Metilprednisolona (succinato) (intravenoso): frascos de 40,125, 500 ou 1.000 mg.
– Prednisona: comprimidos de 5 ou 20 mg.
– Prednisolona: solução oral de 1 e 3 mg/ml.

Medicamentos modificadores do curso da doença – sintéticos
– Metotrexato: comprimidos de 2,5 mg; frascos de 50 mg/2ml.
– Sulfassalazina: comprimidos de 500 mg.
– Leflunomida: comprimidos de 20 mg.
– Hidroxicloroquina: comprimidos de 400

– Cloroquina: comprimidos ou cápsulas de 150 mg.

Medicamentos modificadores do curso da doença – Medicamentos Biológicos
– Adalimumabe: seringas preenchidas de 40 mg.
– Certolizumabe pegol: seringas preenchidas de 200 mg.
– Etanercepte: frascos-ampola de 25 e 50 mg; seringas preenchidas de 50 mg.
– Infliximabe: frascos-ampola de 100 mg/10ml.
– Golimumabe: seringas preenchidas de 50 mg.
– Abatacepte: frascos-ampola de 250 mg.
– Rituximabe: frascos-ampola de 500 mg.
– Tocilizumabe: frascos-ampola de 80 mg.

Imunossupressores

– Ciclosporina: cápsulas de 10, 25, 50 e 100 mg; solução oral de 100 mg/ml em frascos de 50 ml.
– Ciclofosfamida: frascos-ampola de 200 ou 1.000 mg.
– Azatioprina: comprimidos de 50 mg.

Medicamentos 2 Medicamentos1

O novo Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para o Tratamento da Artrite Reumatoide, foi publicado em Diário Oficial da União, na data de 28/06/2013. E está disponível para consultas no link: http://www.in.gov.br/visualiza/index.jsp?data=28/06/2013&jornal=1&pagina=71&totalArquivos=144

O Grupo EncontrAR, junto com outras Organizações de Pacientes Reumáticos de todo o Brasil, comemora esta conquista..”o Direito de Acesso e acesso a tecnologia medicamentosa como forma de manutenção e recuperação da Qualidade de Vida da pessoa com Artrites no Brasil”.  O EncontrAR participou ativamente na luta por este direito, movimentamos as redes sociais com a campanha “TwittAR” envolvendo e empoderando o paciente com AR para serem um PAR “Paciente – Ativo e Responsável”

Sou Blogueira, motivada pelo diagnóstico da Artrite Reumatoide aos 26 anos, como profissional da enfermagem eu estava acostumada a lidar com a dor, porém, a dor dos outros e de repente a dor passou a ser minha companheira. Troquei o cuidar assistencial pelo cuidar informacional e escrevi o Blog Artrite Reumatoide, para compartilhar a minha dor, aprendi então, que Dor Compartilhada é Dor Diminuída.
Hoje sou “Patient Advocacy”, social media, graduanda do curso de jornalismo na FiamFaam, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde e uma eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta