Osteopatia: a terapia incluída no SUS que usa só técnicas manuais para tratar dores

0
1144

O Ministério da Saúde incluiu 14 novas terapias alternativas ao Sistema Único de Saúde (SUS). Entre elas, a osteopatia, prática oferecida em dois centros municipais do Estado do Rio (veja abaixo). Sem o uso de remédios e utilizando técnicas manuais, visa estabelecer o equilíbrio das estruturas e sistemas corporais. O método age no tratamento de dores nas costas, alterações posturais, entre outras.

— É uma abordagem holística. Trata músculos, articulações, tecidos, sistema circulatório. Vamos em busca da causa do mau funcionamento de uma estrutura até melhorar o sintoma. Todas as partes do corpo funcionam de forma integrada — observa a osteopata Letizia Maddaluno.

A osteopatia trabalha em conjunto com outras áreas da saúde, como clínica médica e fisioterapia, e pode ajudar em casos de dores de cabeça, alterações funcionais digestivas e respiratórias. Esta é contraindicada em pacientes com câncer e quadros infecciosos, por exemplo.

— Não é um tratamento invasivo. Nosso instrumento de trabalho são as mãos. Respeitando as contraindicações do paciente, todos, do bebê ao idoso, serão beneficiados — diz Letizia.

Segundo o osteopata Henri Pelletier, a terapia pode aliviar incômodos e prevenir dores e até cirurgias:

— Tratamos a raiz do problema e, em consequência, as adaptações que o corpo faz. Por exemplo, se você torce o tornozelo, fica mancando e acaba tendo dor na bacia. Nós vamos perceber da onde veio a dor e adaptar o tratamento — conclui o osteopata.

Aonde ir

Zona Norte

Centro Municipal de reabilitação: Rua Ramiro Magalhães 521, no Engenho de Dentro. Tel: 3111-7336.

Niterói

Posto de Saúde Carlos Antônio da Silva: Avenida Jansen de Melo s/ número, Centro. Tel: 2719-0050.

Fonte: http://extra.globo.com/noticias/saude-e-ciencia/osteopatia-terapia-incluida-no-sus-que-usa-so-tecnicas-manuais-para-tratar-dores-21258479.html

Sou Blogueira, motivada pelo diagnóstico da Artrite Reumatoide aos 26 anos, como profissional da enfermagem eu estava acostumada a lidar com a dor, porém, a dor dos outros e de repente a dor passou a ser minha companheira. Troquei o cuidar assistencial pelo cuidar informacional e escrevi o Blog Artrite Reumatoide, para compartilhar a minha dor, aprendi então, que Dor Compartilhada é Dor Diminuída. Hoje sou “Patient Advocacy”, social media, graduanda do curso de jornalismo na FiamFaam, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde e uma eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.

COMPARTILHE
Artigo anteriorConheça a história da Lucy - #MTC Medicamento no tempo Certo
Próximo artigoVagas de Empregos para Reabilitados do INSS
Sou Blogueira, motivada pelo diagnóstico da Artrite Reumatoide aos 26 anos, como profissional da enfermagem eu estava acostumada a lidar com a dor, porém, a dor dos outros e de repente a dor passou a ser minha companheira. Troquei o cuidar assistencial pelo cuidar informacional e escrevi o Blog Artrite Reumatoide, para compartilhar a minha dor, aprendi então, que Dor Compartilhada é Dor Diminuída. Hoje sou “Patient Advocacy”, social media, graduanda do curso de jornalismo na FiamFaam, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde e uma eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta