Como tratar a fadiga

0
2186

A fadiga ou sensação de cansaço, durante um dia, um período de dias ou inclusive semanas, pode ser o resultado de pressão emocional excessiva, falta de sono, erros na alimentação ou muitas outras causas. Embora na maioria dos casos se trate de uma condição passageira, convém tomar medidas para minimizar os incômodos que gera e, por sua vez, acabar com esse cansaço generalizado.

  1. Em primeiro lugar, deverá tratar de determinar qual é o motivo que lhe está provocando este cansaço intenso e injustificado. Entre as causas mais comuns da fadiga encontramos:
  • Estresse;
  • Excesso de hidratos de carbono na dieta;
  • Desidratação;
  • Vista cansada;
  • Alteração do relógio biológico;
  • Hipotensão arterial.

Assim, deverá consultar o seu médico para que possa fazer um avaliação e os exames pertinentes para determinar o diagnóstico.

2. Para além disso, será necessário que determine as suas prioridades, por exemplo, se a fadiga se deve a um excesso de trabalho, deverá procurar onde poderá tentar reduzir: delegar tarefas, modificar o horário de trabalho, trabalhar a partir de casa, etc. e tentar passar mais tempo com os seus familiares e amigos. O objetivo deverá ser procurar aqueles pontos que lhe tenham gerado uma tensão desnecessária e procurar estratégias para a reduzir.

3. Outro fator importante na hora de combater a fadiga é a alimentação, de maneira que deverá seguir uma dieta equilibrada que garanta todo o tipo de nutrientes, vitaminas e minerais. Além disso, deverá garantir a hidratação do seu organismo bebendo grandes quantidades de líquidos: água, sucos, bebidas não carbonatadas.

3. Deverá dar ao seu corpo energia suficiente para realizar todas as tarefas diárias, mas também não será benéfico um excesso de calorias, porque apenas conseguirá que o seu sistema digestivo tenha de realizar um esforço em excesso para realizar a sua função e processar os alimentos.

4. Também pode ser bastante benéfico para o seu organismo os complementos vitamínicos como a geleia real que irão garantir as vitaminas que o seu organismo precisa. Consulte o seu médico ou farmacêutico sobre os suplementos mais indicados para o seu caso e siga as suas recomendações quanto à dose e à forma de uso.

5. Outro aspeto que não poderá pular, será dormir as horas suficientes para conseguir um sono reparador e conseguir se afastar de tudo aquilo que o preocupa. Deste modo, terá que recriar o ambiente ideal para conciliar o sono: silêncio, escuridão, colchão confortável, etc. No caso de sofrer de algum tipo de transtorno que possa interferir com o seu sono, como por exemplo as apneias do sono ou os roncos profundos, será importante consultar um médico especialista.

6. Fazer exercício será ideal para aliviar o estresse que possa estar causando fadiga, inclusive se se sente demasiado cansado para isso. Quantidades moderadas de exercício podem melhorar o seu estado de humor, dar-lhe mais energia e fazer com que se sinta mais cansado na hora de dormir, conseguindo um sono profundo e reparador.

Se a fadiga persistir consulte o seu médico.

Fonte: Saúde Umcomo

Sou Blogueira, motivada pelo diagnóstico da Artrite Reumatoide aos 26 anos, como profissional da enfermagem eu estava acostumada a lidar com a dor, porém, a dor dos outros e de repente a dor passou a ser minha companheira. Troquei o cuidar assistencial pelo cuidar informacional e escrevi o Blog Artrite Reumatoide, para compartilhar a minha dor, aprendi então, que Dor Compartilhada é Dor Diminuída. Hoje sou “Patient Advocacy”, social media, graduanda do curso de jornalismo na FiamFaam, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde e uma eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.

COMPARTILHE
Artigo anteriorPor que a medicina é desumanizada e como torná-la mais humana
Próximo artigoCientistas descobrem proteína que tem ação anti-inflamatória
Sou Blogueira, motivada pelo diagnóstico da Artrite Reumatoide aos 26 anos, como profissional da enfermagem eu estava acostumada a lidar com a dor, porém, a dor dos outros e de repente a dor passou a ser minha companheira. Troquei o cuidar assistencial pelo cuidar informacional e escrevi o Blog Artrite Reumatoide, para compartilhar a minha dor, aprendi então, que Dor Compartilhada é Dor Diminuída. Hoje sou “Patient Advocacy”, social media, graduanda do curso de jornalismo na FiamFaam, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde e uma eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta